Ola..

Seja bem-vindo, Obrigado por acessar nosso Blog.
Hoje é

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Projovem Campo – Saberes da Terra vai qualificar mais 48 mil agricultores

Projovem Campo – Saberes da Terra vai qualificar mais 48 mil agricultores
Noticias em 15/06/2009

Mais 48 mil jovens agricultores com idade entre 18 e 29 anos, com ensino fundamental incompleto, terão a oportunidade de ingressar este ano no programa Projovem Campo – Saberes da Terra. Com duração de dois anos, o curso qualifica jovens do campo para trabalhar na agricultura familiar e oferece certificado de conclusão do ensino fundamental.

Armênio Schmidt, diretor de educação para a diversidade da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad), explica que as 48 mil vagas vão se somar às 35 mil abertas em 2008. Os 35 mil agricultores já foram selecionados e devem começar o curso nos meses de junho, julho ou agosto. São jovens da área rural de municípios dos 19 estados que aderiram ao programa no ano passado.

Além da expansão das vagas – de 35 mil para 48 mil –, Armênio Schmidt diz que o Projovem Campo terá outra novidade em 2009. O programa será oferecido às 26 secretarias estaduais de educação e ao Distrito Federal, mas, caso algum estado não queira aderir, terão prioridade na ocupação das vagas os municípios daquela unidade da Federação e os jovens residentes nos Territórios da Cidadania.

Para 2010, segundo Schmidt, a Secad estuda ampliar o Saberes da Terra para agricultores adultos, acima de 30 anos, não contemplados pelo Projovem Campo. O modelo que está em estudo, adianta o diretor, oferece aos municípios o curso, a formação de professores e os cadernos didáticos por meio do Plano de Ações Articuladas (PAR). O PAR é uma ação municipal que compreende diagnóstico da educação local e a definição de prioridades para um período de quatro anos.

AVALIAÇÃO

Coordenadores do Projovem Campo – Saberes da Terra de 19 estados e das 19 instituições de ensino superior públicas, parceiras do programa, concluiriam no último dia 10, em Brasília (DF), encontro de avaliação sobre o andamento da formação de professores e as agendas do início dos cursos. Segundo Armênio Schmidt, o programa respeita a diversidade do campo em cada estado, mas como é uma política nacional, "reuniões anuais servem para dar unidade à diversidade".

Entre os 19 estados que aderiram ao programa em 2008, o Mato Grosso e o Pará já iniciaram as aulas. Rui Leonardo Souza Silveira, coordenador do Projovem Campo em Mato Grosso, explica que o estado saiu na frente porque mantém boa articulação com os movimentos sociais do campo e que isso facilitou a matrícula dos 1.100 agricultores.

A secretaria estadual também selecionou 150 professores da sua rede para fazer o curso de especialização em educação no campo no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, que é o parceiro do Projovem no estado. De acordo com o diretor de ensino da Pró-Reitoria de Ensino do instituto, Gabriel Antônio Ogaya Joerke, a preparação inicial dos professores indicados pela secretaria estadual de educação ocorreu no campus São Vicente, em abril, e outra turma fez a formação no campus de Colider, em maio. Ao todo, o instituto federal de Mato Grosso fará quatro encontros de formação por ano, vai acompanhar os professores nas salas de aula e também nas atividades na comunidade. O curso para os professores e para os agricultores tem duração de dois anos e é feito ao mesmo tempo.

Ednaide Rêgo, coordenadora do comitê de educação do campo da secretaria estadual de educação do Rio Grande do Norte, informa que os 1.200 agricultores e os professores da rede que vão trabalhar na formação já foram selecionados, mas que o começo das aulas depende da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), parceira da secretaria. Os cursos serão oferecidos nos polos do Sertão do Apodi e em Mato Grande, regiões do estado com baixos índices de desenvolvimento humano (IDH) e de desenvolvimento da educação básica (Ideb).

A Ufersa, explicou o coordenador do Projovem na instituição, Antonio Jorge, já recebeu os recursos do MEC, mas tem um item do projeto que precisa ser modificado antes de começar a qualificação dos professores.

Para a formação dos 35 mil agricultores, o Ministério da Educação vai investir R$ 111,2 milhões. Destes recursos, R$ 84 milhões são para as 19 secretarias estaduais de educação e R$ 27,2 milhões para as 19 instituições de ensino público parceiras.

MAIS INFORMAÇÕES

Projovem Campo – Saberes da Terra
Telefones: (61) 2104-6022 ou (61) 2104-6033
E-mail: coordenacaoeducampo@mec.gov.br

FONTE

Ministério da Educação
Ionice Lorenzoni - Jornalista

Yeda formaliza parceria para desenvolver ovinocultura gaúcha

Yeda formaliza parceria para desenvolver ovinocultura gaúcha ...
Com um rebanho de 4,4 milhões de cabeças, a ovinocultura do Rio Grande do
Sul conquistou, na manhã desta terça-feira (16), um importante
avanço:...

Carnes: governadora(rs) formaliza parceria para desenvolver ovinocultura

16/06 - 14:42 - Agência Safras

SAFRAS (16) - Com um rebanho de 4,4 milhões de cabeças, a ovinocultura do Rio Grande do Sul conquistou, nesta terça-feira (16), um importante avanço: um centro de pesquisas e produção de ovinos, resultado de parceria entre Fepagro, Ufrgs e Associação dos Criadores de Ovinos (Arco). A governadora Yeda Crusius formalizou o acordo durante ato realizado na unidade da Fepagro em Viamão.

"Esta parceria é um compromisso de recuperação da ovinocultura como uma cultura primeira, e não secundária. Mas, para isso, é preciso pesquisa e desenvolvimento", afirmou Yeda. O centro ocupa 16 hectares, onde estão alojados 73 ovinos doados pela Arco. A governadora disse que o local será uma vitrine "para que o Rio Grande do Sul produza a partir da pesquisa e da inovação". E afirmou esperar que o trabalho intenso na unidade mostre resultados já na próxima Expointer.

Por meio da pesquisa e do ensino, o centro será um pólo de conhecimento e desenvolvimento onde alunos poderão praticar e os produtores terão acesso a tecnologias. O Estado tem tradição na atividade, porém grande parte das propriedades de ovinos mantém animais de baixo padrão zootécnico ou como atividade secundária.

Conforme o secretário de Ciência e Tecnologia, Artur Lorentz, a parceria é um momento histórico, pela sua simbologia e pelo apoio permanente do governo Yeda à pesquisa e ao desenvolvimento, para melhorar a competitividade do Estado. Para o diretor-presidente da Fepagro, Benami Bacaltchuk, com a parceria entre pesquisa e sistema produtivo, "a ovinocultura gaúcha passa a ter futuro".

Importância Saudando a parceria, o presidente da Arco, Paulo Schwab, informou que 60% da carne ovina consumida no Brasil são importados do Uruguai, do Chile e até da Nova Zelândia. Conforme Schwab, o centro é fundamental por ter uma universidade ao seu lado para transformar a carne, o leite e o queijo de ovinos em produtos tão importantes como já é a lã. Segundo ele, a carne é o foco mundial da ovinocultura. Comemorando os 75 anos da Ufrgs, o reitor da universidade, Carlos Alexandre Neto, disse que considera produtiva a "interação entre poder público, setor acadêmico e usuários do conhecimento".

Na opinião da coordenadora do Programa de Pesquisas em Sistemas de Produção Animal da Fepagro, Zélia Maria de Souza Castilhos, o centro será estratégico, por especializar mão-de-obra e desenvolver tecnologias que darão suporte aos produtores e à produção de ovinos. As informações partem da Assessoria de Comunicação do Governo do Rio Grande do Sul.

(CBL)

Obras da Ferrovia Oeste-Leste começam em novembro

As obras da Ferrovia da Integração Oeste-Leste serão iniciadas em novembro deste ano, logo após a liberação da licença ambiental, prevista para os próximos 70 dias. Foi o que garantiu o presidente da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A, empresa vinculada ao Ministério dos Transportes e responsável pela obra, José Francisco das Neves, durante a primeira consulta pública sobre a ferrovia, nesta segunda-feira (8), em Barreiras, a 862 quilômetros de Salvador. A segunda consulta está prevista para Ilhéus, Litoral Sul do estado, a 437 quilômetros de Salvador.

O traçado da ferrovia Oeste-Leste foi apresentado pela empresa, que demonstrou a otimização no escoamento da produção. O trajeto da estrada de ferro é resultado de uma discussão com toda a equipe de governo e fruto da observação de elementos importantes, como reservas indígenas, rampas, entre outros detalhes técnicos e ambientais. Neves explicou que o cronograma está sendo cumprido e já foi entregue o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA).

De acordo com o presidente da Valec, a ferrovia contribuirá para o escoamento da produção de minério de ferro, grãos e farelos, álcool, açúcar e algodão, biocombustível e derivados de petróleo. O destaque é para o agronegócio do Oeste baiano e as jazidas minerais da área de Caetité, no Sudoeste. A implantação da estrada de ferro dará impacto significativo no desenvolvimento econômico da Bahia.

Segundo o governador Jaques Wagner, entre as vantagens previstas com a construção da Oeste-Leste para a Bahia estão a redução de custos do transporte de insumos e produtos diversos, o aumento da competitividade dos produtos do agronegócio e a possibilidade de implantação de novos pólos agroindustriais e de exploração de minérios, aproveitando sua conexão com a malha ferroviária nacional. “Com esta ferrovia teremos vários benefícios. O aumento da segurança e a redução dos gastos em manutenção de rodovias, são exemplos. A interligação Oeste-Leste vai facilitar o transporte da soja, que será levada para os portos com mais rapidez e segurança”, disse o governador.

Oportunidade para os pequenos produtores

O agricultor Pedro Alves acredita que com a ferrovia os pequenos produtores terão a oportunidade de escoar com mais facilidade os seus produtos. “Os custos serão barateados e podemos até sonhar com a possibilidade de exportar”, afirmou.

Além do escoamento de toda a produção agrícola regional, a implantação da ferrovia deve gerar cerca de 30 mil empregos diretos, de acordo com dados do Ministério dos Transportes. “Estamos vendo esta ferrovia com bons olhos, porque é mais emprego e renda para Barreiras e para os demais municípios”, acredita a líder comunitária Solange Cunha.

Com investimento previsto de cerca de R$ 6 bilhões pelo Governo Federal, a estrada de ferro Oeste-Leste (EF 334) terá 1,5 mil quilômetros, de Ilhéus, no Sul da Bahia, a Figueirópolis, em Tocantins. Na Bahia, ela atravessará 32 municípios, distribuídos por 1,1 mil quilômetros. No território baiano, a maior parte do trecho passará pelo município de São Desidério, maior produtor de algodão e de grãos do Brasil.

A previsão é que a conclusão do primeiro trecho, Ilhéus (Sul) a Caetité (Sudoeste baiano), aconteça em julho de 2011; do segundo, de Caetité a Correntina/Barreiras (Oeste baiano), em julho de 2012; e do terceiro, de Correntina/Barreiras a Figueirópolis (TO), em dezembro de 2012.

Ferrovia, Porto Sul e Aeroporto de Ilhéus

O sistema intermodal de transportes, junto com o Porto Sul e o novo aeroporto internacional de Ilhéus, também faz parte das vantagens que a Ferrovia Oeste-Leste trará diretamente para o Oeste, Sudoeste e Sul da Bahia.

O Governo do Estado está fazendo gestões junto ao Governo Federal para que as obras da ferrovia, do Porto Sul e do aeroporto internacional de Ilhéus andem de forma simultânea. O objetivo é que no momento em que a ferrovia estiver iniciando, o porto também esteja integrado dentro desta lógica, não só multimodal, mas também de cronogramas.

A integração entre os dois modais (porto e ferrovia) gera uma estimativa de exportação de cargas de 40 milhões de toneladas anuais, a partir do aumento das atividades de mineração no estado, montante que pode aumentar com o decorrer do tempo. Atualmente, os três portos baianos (Salvador, Aratu e Ilhéus) estão com um volume de cargas exportadas de cerca de 10 milhões de toneladas anuais.

Entre outras negociações do Governo do Estado para fortalecer o desenvolvimento regional estão a ampliação de voos das companhias Trip e Azul para o interior e a utilização do Porto Sul como alternativa de escoamento da produção de biodiesel do norte de Minas Gerais.
No rastro da ferrovia, o Oeste terá mais uma universidade federal e está em construção a BR 135, que corta Barreiras no eixo Norte-Sul e liga a divisa Bahia/Minas Gerais até a divisa com o Piauí.

Outro benefício da ferrovia será o aumento da segurança e a redução dos gastos em manutenção de rodovias. Os excessos de cargas das carretas que descem com a soja do Oeste do Estado para os portos, por exemplo, passarão a ser levados de trem.

Crédito: Agecom - Assessoria Geral de Comunicação Social do Governo do Estado da Bahia - 08/06/2009 - 15:50hs

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Embrapa Caprinos e Ovinos realiza solenidade de posse do novo chefe-geral


O pesquisador Evandro Holanda Júnior assumiu oficialmente nesta terça-feira (19/05) o cargo de chefe-geral da Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral, CE). Na solenidade de posse, realizada no auditório central da unidade, Evandro salientou que entre as prioridades da nova gestão, eleita para um período de dois anos, está a rede de projetos para inovação na ovinocultura e caprinocultura, que pretende fortalecer pesquisas voltadas para a produção de carne, leite, pele e lã de qualidade.

"Estamos também compromissados com ações de capacitação para técnicos, produtores e trabalhadores rurais e com o estabelecimento de um pólo tecnológico em Sobral, em parceria com universidades, instituições de ciência e tecnologia, prefeitura e Governo do Estado do Ceará", reforçou o pesquisador, que elencou diversas questões relevantes para o agronegócio brasileiro como foco de preocupações. Entre elas, a inserção produtiva dos agricultores familiares, o uso racional da água, a geração de tecnologias de convivência com as mudanças climáticas e a utilização dos biocombustíveis e de energia da biomassa.


"Assumo com a responsabilidade de continuar a execução de um projeto que visa viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da caprinocultura e da ovinocultura, em benefício da sociedade", afirmou Evandro, que destacou ainda os projetos de melhoramento genético de caprinos de leite e a implementação do programa nacional de ovinos de corte, como iniciativas que darão apoio a um plano de desenvolvimento dos setores de caprinocultura e ovinocultura.

A posse contou com representantes da diretoria da Embrapa e de outras unidades descentralizadas, como o diretor executivo Geraldo Eugênio de França; o chefe da Assessoria de Inovação Tecnológica, Lúcio Brunalle; o assessor da diretoria executiva, Fernando Campos, e o chefe-geral da Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza, CE), Vitor Hugo de Oliveira. "Quem vai a qualquer município do semi-árido nordestino, percebe que caprinos e ovinos são prioridade número um. É hora da Embrapa contribuir para tornar o sertão cada vez mais próspero, com atividades que contribuam para valorizar a produção, muitas vezes vendida a preços irrisórios, e promover o manejo da caatinga, evitando a desertificação", ressaltou Geraldo Eugênio.



A posse contou com representantes da diretoria da Embrapa e de outras unidades descentralizadas, como o diretor executivo Geraldo Eugênio de França; o chefe da Assessoria de Inovação Tecnológica, Lúcio Brunalle; o assessor da diretoria executiva, Fernando Campos, e o chefe-geral da Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza, CE), Vitor Hugo de Oliveira. "Quem vai a qualquer município do semi-árido nordestino, percebe que caprinos e ovinos são prioridade número um. É hora da Embrapa contribuir para tornar o sertão cada vez mais próspero, com atividades que contribuam para valorizar a produção, muitas vezes vendida a preços irrisórios, e promover o manejo da caatinga, evitando a desertificação", ressaltou Geraldo Eugênio.


Para a solenidade, a ex-chefe geral da Embrapa Caprinos e Ovinos, Maria Pinheiro Correia, enviou mensagem, lida pelo novo chefe adjunto de Administração, Caetano Silva Filho, também empossado nesta terça. Maria Pinheiro afirmou que sua experiência à frente da unidade foi "edificante" e saudou a todos os funcionários e parceiros da Embrapa que colaboraram em sua gestão.

Evandro Holanda Júnior, natural de Baturité (CE), é médico veterinário e doutor em Ciência Animal pela Universidade Federal de Minas Gerais. É pesquisador da Embrapa desde 2001, tendo iniciado suas atividades na Embrapa Semi-Árido (Petrolina, PE). Em 2006, foi para a Embrapa Caprinos e Ovinos, onde exerceu o cargo de chefe adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento até 2008. Também tomou posse nesta terça o novo chefe adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento, Marco Aurélio Bonfim.


Parcerias

O secretário do Desenvolvimento Agrário do Estado do Ceará, Camilo Santana, prometeu na solenidade de posse, continuar a "sólida parceria" para consolidar cadeias produtivas no semi-árido cearense. "O Governo do Estado vai estreitar a cooperação com a Embrapa Caprinos e Ovinos, para ações como nosso projeto de aquisição da produção de leite de cabra, em convênio com os produtores", assegurou ele. Já o secretário da Agricultura e Pecuária de Sobral, Edison Frota, destacou que a nova gestão deve intensificar a geração de tecnologias para trazer benefícios ao homem do campo. "Percebo que Evandro tem consciência disso, de que o conhecimento tem que chegar lá aos nossos criadores", disse ele.

A solenidade teve também a presença do presidente da Câmara Municipal de Sobral, vereador Hermenegildo Sousa; do presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão do Estado do Ceará (Ematerce), José Maria Pimenta; do superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Ceará, Flávio Saboya, entre outras autoridades.


Adilson Nóbrega
Jornalista - Embrapa Caprinos e Ovinos
MTb Ce 01269JP
(88) 3112.7410/7415
adilson@cnpc.embrapa.br
www.cnpc.embrapa.br

Premiada genética do SIM na Expo Pequenos Notáveis e no Leilão Inconfidência

Educação Ambiental - Aquecimento Global

Super vídeo de educaçãoo ambiental....
Crédito de jmaxx2 (You Tube)


terça-feira, 2 de junho de 2009

Meio Ambiente - O Planeta pede socorro


Trabalho feito para a conscientização do meio ambiente ao aquecimento global

Crédito:Proprietário: lucasmpin (YouTube)

Educação Ambiental



Filme com uma série de imagens e pequenos vídeos com vista a sensibilizar os alunos para o problema das alterações climáticas.

Crédito: Proprietário: crisabela (YouTube)

Agradecimento

Foram muitas as horas que passamos elaborando, estudando e sonhando para criar a “ONG AIAS”. Durante este tempo, muitas pessoas estiveram envolvidas até que nós chegássemos a um resultado final; porém, não é fácil ter as palavras corretas para mostrar-se grato a todos os envolvidos. Estejam certos de que a felicidade que estou sentindo por estarmos unidos é muito grande. Você só poderá encontrar a felicidade quando souber fazê-la nascer de dentro de seu coração, quando aprender a ajudar a todos indistintamente, com suas ações, suas palavras e seus sentimentos.

Em primeiro lugar, gostaria de agradecer a “Deus” pelo descanso da noite e pela claridade da manhã, e que esteve sempre ao nosso lado nos dando forças para continuar trabalhando e não desanimar nas horas difíceis.

Em segundo lugar, gostaria de agradecer a minha esposa, companheira e amiga, Marli, pela paciência que teve e pelo perdão pelas horas que não lhe dediquei, pois foram consumidas neste trabalho, e pelo amor que me dedica em todos os momentos de sua vida.

Aos meus familiares adoráveis, em especial a minha mãe (Mariana), irmã (Solange), avós paternos e maternos, a minha querida sogra Cota (Dona Celina) e o meu sogro Bia (Sr. Bienor, o meu querido Bia), fontes principais do entusiasmo na elaboração e criação desta associação. É preciso não pensar na idade, mas vivê-la; saber ser feliz é preciso, antes de tudo, encontrar a paciência, suprir a necessidade da mente, em busca do dia-a-dia na consciência de entender que um dia você pode lutar para vencer, mesmo que antes já tenha sido derrotado, mas sem nunca perder as esperanças.

Porque o comodismo é a injustiça da liberdade, que provoca o transtorno, e o desamor à condição de caminhar pela paz.

E a vida é todo o espaço de tempo que temos para pensar no momento em que estamos conscientes do que fazemos em benefício do amanhã pela Caprinocultura e Ovinocultura.

A todas as pessoas da “ONG AIAS - Caprinos & Ovinos”, aos diretores, conselheiros, amigos, pessoas que colaboram diretamente ou indiretamente, ao meu Compadre e grande Amigo Everson Soares de Oliveira o Sonn, obrigado, para o sucesso desta associação, para que este material chegue até você, nosso muito obrigado.

“O maior sentimento que podemos ter é sentir no coração que Deus pode realizar aquele sonho que para muitos é impossível, mas para Deus não, porque quando eu não posso Deus pode.”

AIAS
Pelo Latim Ahias, do Hebraico Ahiyas
“Amigos de Deus”